Um resumo da minha história

Minhas tendências para o lado negro kkkkk, começaram cedo,me lembro que quando criança,assistia escondida, filmes de vampiros,depois ficava paralisada de medo,mas a atração era maior.
Aos 14 anos comecei a comprar minhas roupas pretas,oque foi o início de muitos conflitos com meus pais,pois naquela época 1986,não era como hoje em dia que você encontra roupas pretas e legais em qualquer loja,roupa preta ainda era roupa de luto;até então eu não sabia absolutamente nada de subculturas.
Nessa época aqui em Curitiba tinha alguns Punks,eu os vi,achei muito interessante,as pessoas olhavam com repulsa,eu olhava com admiração,tbm existiam os Headbangers.Até que comecei a ver alguns jovens vestidos de preto,me identifiquei na hora,achei lindo,amor a primeira vista,descobri que se tratava dos Pós Punks.
Aí então,dou início a minha jornada em busca de saber do que se tratava,me envolver,e construir meu guarda-roupa goth.
A praça Eufrásio Correia,era o ponto de encontro,esse chafariz aí da foto ficava negro,o grupo tinha até um nome The Legion,e eu tinha achado meu grupo,falando nisso onde estarão essa galera?Só tenho conhecimento e contato até hoje com o Docca Soares,será que sobraram só nós dois?
 Nessa época,não existia nem esmalte preto minha gente,é sério,o recurso era colocar tinta de caneta dentro de um esmalte qualquer,e estava pronto seu esmalte preto,piercing?nem sabíamos da existência dessa palavra,bota um alfinete aí meu filho,roupas então,era quase tudo no faça vc mesmo,foi aí que comecei minhas aventuras na maquina de costura da minha mãe,roupas era uma raridade,tínhamos poucas peças customizadas, ou feitas por uma costureira.
No começo eu tinha que sair de casa 'vestida normal' e trocar de roupa no banheiro do terminal de ônibus,meu pai demorou muito pra aceitar minhas roupas,depois aos poucos fui acrescentando meu preto diário.
Eu vejo algumas reclamações hoje em dia,sobre preconceito ou dificuldade em encontrar roupas etc,mas eu digo que hoje vivemos no paraíso meus queridos,o preto entrou no mainstream,vemos referências,acessórios,até coleções de lojas inspiradas nas subculturas,preconceito era muito pior,as pessoas nos odiavam,era sentar no ônibus e as pessoas saírem de perto fazendo o sinal da cruz,e a família então?meu pai foi me buscar com a polícia nessa praça aí de cima,me bateu,jogou minhas roupas foras e me trancou em casa,e eu não fui a única a passar por isso,acredite.
Bom depois passei por várias fases,mais troo,mais headbanger,aprendi a apreciar outras músicas,outros estilos,casei de preto como eu sempre quis e tbm não fazia sentido pra mim casar de outra cor ,meu pai aprendeu a me respeitar como eu sou,tive meus filhos,e aqui estou eu!

2 comentários:

  1. Caraca! Espero encontrar mais coisinhas da sua história por aqui. Quero saber como foi em trampos, como começou a costurar e aprendeu. *-* Me identifiquei bastante! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal q vc curtiu.
      Boa dica de post,irei falar sobre essas coisas sim.

      Excluir